Home » Brasil » Lula pode carregar o PT/DF

Lula pode carregar o PT/DF

Por Ana Maria Campos
Correio Braziliense/Luis Nova/Esp. CB/D.A Press 

A liderança de Luiz Inácio Lula da Silva na pesquisa do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPad), publicada pelo Correio no fim de semana, revela que o PT, ao contrário do que muita gente pensa, não está morto no Distrito Federal. Uma eventual candidatura do petista à Presidência da República pode valorizar um concorrente da legenda em Brasília para o Palácio do Buriti ou ao Senado. Mesmo que o ex-presidente não entre na disputa, tê-lo como cabo eleitoral pode significar força eleitoral no mínimo para eleger uma bancada de deputados distritais. O levantamento indicou que Lula tem de 16,7% a 17,3% dos votos, a depender dos cenários. O segundo colocado, de acordo com a pesquisa, é o deputado Jair Bolsonaro (PSC), com 10% a 14,8%.

Governo para idosos

Homens com mais de 60 anos são os que mais aprovam o governo Rollemberg. É o que indicou a pesquisa do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD). Para 15% dos idosos, a administração é ótima ou boa. Nessa faixa etária, 18% consideram regular.

Rejeição menor entre jovens

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) consegue um desempenho melhor também entre as pessoas com 16 a 24 anos. O político que sempre foi identificado com a juventude encontra nessa parcela da população a menor taxa de rejeição: 60%. A média foi de 67%.

Elas são mais críticas 

Numa comparação por gênero, as mulheres são mais críticas em relação ao atual governo. A pesquisa mostrou que 70% das eleitoras estão insatisfeitas com a atual administração. O número é mais baixo no sexo masculino (64%).

Tudo pode piorar

Nos últimos meses, o governador Rodrigo Rollemberg mudou o estilo. Adotou um tom mais severo em relação ao corporativismo dos sindicatos, vestiu o capacete de obras, lançou um projeto novo para a saúde, o Instituto Hospital de Base, e anunciou a regularização de condomínios, mas a população está pessimista. Em meio a um cenário nacional de crise e uma total desconfiança em relação aos políticos, a pesquisa do IBPad revelou que metade dos cidadãos acha que as coisas vão piorar até o fim do mandato. Outras 31% acreditam que nada muda. Apenas 14% apostam em melhorias.

Sinal pró-Temer

O deputado Rogério Rosso (PSD/DF) defende um rito diferente para a análise sobre o recebimento de denúncias contra presidentes da República, com produção de provas e depoimentos. Avalia que não dá para afastar um presidente no exercício do mandato sem elementos que detalhem a acusação. Foi o que disse ontem na CCJ, sinal de que vai votar contra o parecer do relator, Sergio Zveiter (PMDB-RJ), favorável à abertura de processo contra Michel Temer.

Pior ou igual a Agnelo

Um dos aspectos da pesquisa que deve incomodar Rollemberg é a comparação com a gestão de Agnelo Queiroz. O governador passou os dois primeiros anos batendo na tecla da herança maldita que impede avanços, mas 8 entre 10 pessoas acreditam que a gestão atual é pior ou igual à anterior. Para 41,3%, a situação andou para trás e 31,3% apontaram que nada mudou. Apenas 16,4% enxergam avanços. Essa análise é preocupante para quem quer disputar a reeleição. Agnelo não conseguiu sequer chegar ao segundo turno em 2014. Além disso, a pesquisa foi realizada entre 1° e 5 de julho, depois que o ex-governador petista já havia sido preso por indícios de corrupção na Operação Panatenaico.

À QUEIMA-ROUPA 

Max Stabile-Diretor executivo do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPad)

O resultado das pesquisas indicou alta rejeição?

De fato, é uma surpresa ver essa rejeição para o Distrito Federal tão grande assim. Essa rejeição sempre ocorreu em relação ao sistema político, aos partidos. E, de certa forma, os personagens, os atores políticos, eram descolados desse processo. O que está acontecendo é que colou nos políticos.

Se está todo mundo com a rejeição tão alta,

os candidatos começam no mesmo patamar?

Todo mundo dentro do mesmo patamar. Mas vai chegar um momento em que os políticos vão tentar fazer as pazes com o eleitor e se diferenciar dos demais. Assim, taxas de rejeição podem ser reduzidas no processo de afunilamento de uma campanha. Essa rejeição, com certeza, vai diminuir quando chegar mais próximo da eleição. Ocorre a “desrejeição”, num processo de comparação com o menos pior, por exemplo. Mas pode surgir um outsider e mudar esse cenário.

Pode sugerir o aparecimento de um aventureiro, fora do cenário?

O que a gente tem visto é que isso não é tão simples, aparecer alguém totalmente desconhecido. Ou se tem um personagem, um artista conhecido ou um grande empresário, alguém atrelado a uma marca positiva.

Nove entre 10 não têm candidato. Isso também é normal?

É coerente com a situação, as circunstâncias políticas, e ninguém sabe ainda quem será candidato.

Qual é o perfil que vai fazer sucesso?

Nesse cenário atual, a impressão é de que faz sucesso “gente que prende”, no sentido de combate à corrupção. Tanto que Joaquim Barbosa aparece muito bem na pesquisa.

Fonte: http://www.edsonsombra.com.br/post/lula-pode-carregar-o-ptdf20170711

About Germano Guedes

Olá Pessoal, Sou Germano Guedes, criador do site “a politica e o poder”. Baiano, morador da Estrutural desde 99, cheguei a Capital Federal para tentar a vida como milhares de outras pessoas. Ao chegar na Estrutural, começei a participar de discussões que visavam a melhoria da qualidade de vida na Cidade. Vi que alguns grupos já formados, ” monopolizavam” os moradores e inclusive, a informação que chegava até a comunidade. Nessa condição, resolvi criar um blog – meio que possibilitaria levar informação as pessoas. Neste canal, soltei o verbo e começei a dizer o que eu realmente pensava sobre o que acontecia na Estrutural. Abordei vários assuntos polêmicos, revelei notícias “bombas” e muitas vezes, tive que desmascarar grupos organizados que não pensavam no interesse da população – como diz o ditado ” era só venha a nós” e a população que se vire. Como Prefeito Comunitário pude participar mais ativamente das ações políticas que discutiam a Estrutural. Lixão, instalação de creches, reabertura de escolas e a regularização de alvará dos comerciantes eram algumas de nossas reivindicações. No ano de 2014, fui indicado pelo meu Partido – PRB – a vaga de administrador da Cidade. Continuo abastecendo o site com notícias e assuntos polêmicos, dizendo realmente o que penso. Porém, agora somos uma equipe e ” A Política e o Poder”, além de abordar assuntos correlatos à Estrutural, terá uma discussão voltada para todo o Distrito Federal, garantido informação e notícias exclusivas a todos os brasilienses que nos acompanham.